Ex-guarda nazista é o último grande acusado de crimes de guerra da Alemanha de Hitler

01/12/2009

Preso desde maio deste ano, John Demjanjuk, de 89 anos, será julgado pela morte de 27.900 judeus.

>
Ex-guarda nazista é o último grande acusado de crimes de guerra da Alemanha de Hitler
Demjanjuk estava entre os dez criminosos de guerra mais procurados do mundo.

A Alemanha se prepara para julgar o último criminoso sobrevivente da era nazista na Alemanha. O ucraniano John Demjanjuk, hoje com 89 anos, passou a vida nos Estados Unidos trabalhando como operário da indústria automotiva e somente agora vai poder ser responsabilizado pelo assassinato de cerca de 27.900 judeus no campo de concentração de Sobibor.

O promotor do caso, Hans-Joachim Lutz, declarou à corte que Demjanjuk soube pouco depois de chegar a Sobibor que a finalidade era exterminar judeus e não fugiu "embora tivesse tido chance para fazê-lo, até porque estava armado.

Entre março e setembro de 1943 ele participou "dos assassinatos de ao menos 27.900 pessoas, que foram levadas a Sobibor nos 15 trens provenientes da Holanda, assim como em outros meios de transporte".

Demjanjuk nega as acusções e não disse nada durante todo o julgamento. Preso em Munique desde 12 de maio deste ano, o ex-prisioneiro de guerra soviético era um dos dez criminosos de guerra mais procurados no mundo e deverá permanecer sob responsabilidade do governo alemão até pelo menos maio de 2010, quando poderá se concluir o julgamento.

A comunidade judaica e parentes das vitimas declararam que "nunca é tarde para se fazer justiça" e que a prisão de Demjanjuk é muito simbólica. "Não deveríamos cometer o erro de pensar que o julgamento contra um criminoso de guerra é o julgamento contra um só homem", disse o rabino Marvin Hier, do Centro Wiesenthal de Los Angeles.

Comente via asboasnovas.com
Comente via Facebook